Sim, no dia da mãe
o coração é amarelo

Para quem ama a mãe natureza.

Trabalho a concurso

Memória descritiva

O dia da mãe tem um significado especial para todos nós.
O tema do dia da mãe, é indicador de carinho, amor, harmonia, cumplicidade… por isso optou-se por trabalhar o “Coração” concentrando diferentes imagens de corações e diferentes tipos de flores.
Utilizou-se o material indicado no regulamento, as embalagens, com predominância do amarelo e optou-se também pela utilização de flores naturais.
Decidiu-se utilizar cartolinas de diferentes cores, mas sempre tendo em conta os tons predominantes de amarelos.
Como surgiram várias ideias, fizemos um coração a 3 dimensões, constituído por 6 meios corações, cada um deles de cor diferente. Tentou-se em cada um deles, construir figuras que se enquadrassem no tom da cartolina e os desenhos/colagens que também obedecessem a essas tonalidades de cor.
O facto de termos decorados com flores naturais, dá-nos a indicação como o resíduo e a natureza podem estar em consonância.
Se todos nós que produzimos resíduos tivermos boas práticas ambientais, através de uma deposição correcta e selectiva dos diferentes tipos de resíduos, contribuímos para que estes sejam reciclados trazendo benefícios para o ambiente e concomitantemente um maior usufruto deste por parte de todos nós.
As fotos, penso que são elucidativas da construção deste nosso coração, deste a aquisição dos materiais até à sua conclusão.
Tentámos registar e retratar as diferentes etapas que penso por sim só são de fácil compressão.
Iniciámos pela apresentação dos materiais que iríamos utilizar,
Depois já prontos a trabalhar
A construção das diferentes bases (os meios corações)
O corte das diferentes peças e respectiva colagem, de forma a fazer os nossos desenhos
E por fim a junção dos 3 corações que originou o nosso coração 3D.
Foram alunos de saúde ambental que realizaram este desafio.

Caso julgue necessário podem er disponibilizadas masi fotografias desta actividade.

tentei selecionar o menor número possivel

Escola: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Beja

Professor coordenador do trabalho: Cidália Guia