Sim, no dia da mãe
o coração é amarelo

Para quem ama a mãe natureza.

Trabalho a concurso

Memória descritiva

Materiais:
Embalagens Tetra Pak amarelas, tampas de plástico amarelas, cartão canelado, limpa cachimbos branco, cola branca, arame, guardanapos brancos, lã amarela, ataches.

Metodologia:
Iniciámos este projeto com uma campanha de recolha de embalagens amarelas da Tetra Pak e tampas de plástico amarelas. Esta campanha envolveu todos os alunos da EB (pré-escolar e 1.º ciclo) e respetivos encarregados de educação.

A construção do coração começou na Unidade de Ensino Estruturado com a construção da estrutura em cartão canelado: dois corações com 50 cm X 50 cm unidos por uma tira de cartão nas laterais para formar uma caixa. A caixa foi forrada com papel de guardanapo branco e cola branca.

À medida que os alunos traziam as embalagens amarelas da Tetra Pak, traçavam duas flores, de diferentes tamanhos, com a ajuda de um molde e recortavam-nas. Cada aluno traçou e recortou duas flores.

A montagem das flores foi feita pelos alunos mais velhos: sobrepuseram duas flores de diferentes tamanhos e uniram-nas com um atache. No centro da flor, presos pelo atache, colocaram alguns fios de lã amarela. Depois prenderam as flores ao coração com o mesmo atache.

As tampas amarelas foram furadas e os alunos enfiaram-nas em arames, dobrando-os para formar as letras da palavra mãe. Enfeitaram as letras com limpadores de cachimbo branco. Em cada uma das tampas amarelas foram colados os símbolos Tetra Pak - Protege o que é bom. Os alunos formaram três espirais com os limpadores de cachimbo brancos e prenderam as letras ao coração.

Este coração em forma de caixa tem uma utilidade prática: pode ser usado como suporte de revistas.

Tal como a Tetra Pak, o coração de mãe "protege o que é bom"!

Intervenientes:
Todos os alunos da EB (pré-escolar e 1.º ciclo) de Rossio ao Sul do Tejo, encarregados de educação, docentes, assistentes operacionais.

Escola: Escola EB1 Nº5 de Abrantes

Professor coordenador do trabalho: Maria Fernanda Cardoso Antunes